carreira_default

Polêmica (ainda): tatuagem no trabalho

18/9/2015

No braço ou atrás da orelha, pode estar mais escondida ou então bem a mostra, não importa qual seja o lugar, a tatuagem ainda causa polêmica dentro do ambiente de trabalho. Uma pesquisa com 39 diretores de RH de diferentes empresas e áreas de atuação revelou que nenhuma delas tem política em relação à contratação de pessoas com tatuagem. Entretanto, alguns dados chamam a atenção.

 

 

A pesquisa apontou que 21% dos diretores já deixaram de contratar uma pessoa por ela ter tatuagem e 23% deles acham que uma pessoa tatuada passa menos credibilidade. Veja alguns comentários interessantes e que valem a pena serem considerados.

 

“O que realmente complica a contratação, no caso de um homem, é se a tatuagem for nas mãos ou no pescoço. Já no caso das mulheres, no braço ou nas pernas”. Marcelo Gomes dos Santos, gerente nacional de RH do escritório de advocacia Siqueira Castro. ,

 

“Muitas pessoas na Unilever têm tatuagem. Isso não é problema, mas se torna um incômodo quando é ofensiva para os outros, sem respeito a credos ou raças”. Marcelo Williams, vice-presidente de RH da Unilever Brasil.

 

“É preciso bom senso na hora de expor a tatuagem, principalmente quando existe contato com o cliente. Porém, não há nenhum impedimento na hora de contratar ou promover um tatuado”. Nancy Bartos, diretora de RH da AON.

 

“Evitamos a contratação de pessoas com tatuagens visíveis (rosto, mãos, pescoço). O colaborador competente é promovido independentemente de ser tatuado ou não”. Aline Corbeta Siqueira, gerente de RH do Hospital Santa Paula.

 

 

Fonte: Você S/A.